5 CASCATAS IMPERDÍVEIS EM SINTRA!
Back to posts

5 CASCATAS IMPERDÍVEIS EM SINTRA!

Back to posts

5 CASCATAS IMPERDÍVEIS EM SINTRA!

5 CASCATAS IMPERDÍVEIS EM SINTRA!

Com o desconfinamento fomos todos aconselhados a manter o distanciamento físico e nós aproveitámos para praticar o contacto com a natureza. Revisitámos e descobrimos alguns sítios bem incríveis muito perto da fantástica vila de Sintra.

1. Cascata de Fervença

Quem passa na estrada N9 em Fervença, não imagina o que lá há para baixo. Junto a uma antiga pedreira encontramos uma das cascatas mais majestosas da região. Uma queda de água com dezenas de metros que percorre a pedra esculpida em camadas até uma pequena enseada onde atinge alguma profundidade. A ribeira continua a correr lambendo as rochas que salpicam uma paisagem verdejante que nos faz esquecer da proximidade à estrada movimentada.

O acesso até à cascata não é difícil, embora um pouco acidentado. Pelo chão há vários pedaços de mármore, das pedreiras que aí existiam. Infelizmente, há também vestígios da presença humana a que somos incapazes de ficar indiferentes. Quando visitamos procuramos sempre deixar o sítio um pouco melhor do que o encontrámos e trazer algum lixo connosco. Se este local já é mágico assim, imaginem sem qualquer sujidade!


2. Cascata de Armés

Uns kms depois de Fervença entramos na aldeia de Armés. Para chegar à cascata colocamos o GPS para a ETAR de Montelavar e seguimos as indicações em madeira pintadas artesanalmente. O caminho tem muito de verde e pouco que enganar. Vemos algumas ruínas em pedra que parecem ter sido transportadas da antiga civilização Maia. Aqui o mundo deixa de existir.

Ao chegar, o que encontramos é uma cascata praticamente intocável. De verão, com três braços de quedas de água. De inverno, com a maioria da parede escondida, mas a suportar uma queda de água com metros de largura.

Recentemente, caiu aqui uma árvore, mas a sua segurança para a população já foi assegurada. Assim, esta árvore caída traz a este sítio um maior misticismo e uma vertente mais crua da natureza.


3.Cascata de Anços

De todas, esta é, talvez, a cascata mais conhecida desta coleção. E também a maior. Acessível a partir da localidade de Anços, o caminho por terra batida auxilia-nos com corrimões de madeira e o constante borbulhar da água. Há um conjunto de estímulos sensoriais impossíveis de ignorar ao percorrer estes caminhos. Além do som da água, ouvem-se algumas aves e a brisa ajuda-nos a reparar na vasta e diversa vegetação à nossa volta. O cheiro a verde, terra molhada e, no verão, a terra seca também fazem-nos desejar aproveitar cada segundo da experiência ao mesmo tempo que temos pressa para conhecer o ex-líbris do local.

Na base da cascata maior encontramos uma água límpida e com profundidade suficiente para dar algumas braçadas se trouxermos o fato de banho e não nos importarmos com água fria.

Existem também vários trilhos que começam e acabam nesta área e que valem muito a pena descobrir! O rio Mourão (dono da cascata) segue o seu percurso ladeado pela mesma vegetação e caminhos em terra que levam a outras maravilhas.


4. Cascata de Fação

Quem vem de Pêro Pinheiro vira à direita logo a seguir aos “Mármores Cristovão” e desce a rua íngreme para virar à esquerda, onde parece que só se acede a terrenos privados. Ao encontrar o chafariz em pedra, o caminho tem de ser feito a pé, mas já não falta muito.

Começa-se a avistar a possibilidade da cascata com as construções artesanais em troncos. Uma mesa de piquenique, uma pequena ponte, um escadote. Após subir o escadote, começamos a vê-la. A estrutura geológica também é surpreendente: a pedra engole a água que escorre desde lá do alto. “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura” parece aplicar-se na perfeição aqui. A rocha e a água complementam-se para nos trazerem um espetáculo de comunhão e harmonia surpreendente.


5. Cascata de Mastrontas

De todas, a de mais difícil acesso. O percurso inicia-se junto à linha do comboio e vai descendo, vegetação adentro. A cada passo um desnível cada vez mais acentuado, cada passo deve ser bem calculado.

Ao chegar, uma queda de água que se inicia bem acima do ponto onde nos encontramos e continua ainda mais para baixo. Intocável, parece nunca ter pisado aqui qualquer ser humano. Sentimo-nos privilegiados por estar aqui e ter esta experiência. O verde parece irreal e, se ficarmos muito sossegados, sem fazer barulho nenhum, a fauna deste local encantado ganha coragem para se revelar e nos brindar com a sua presença.


Raising Routes - https://www.instagram.com/raising.routes/

The latest on Instagram